01 junho, 2018

"Não: devagar."


Não: devagar.
Devagar, porque não sei
Onde quero ir.
Há entre mim e os meus passos
Uma divergência instintiva.
Há entre quem sou e estou
Uma diferença de verbo
Que corresponde à realidade.

Devagar…
Sim, devagar…
Quero pensar no que quer dizer
Esse devagar…
Talvez o mundo exterior tenha pressa demais.
Talvez a alma vulgar queira chegar mais cedo.
Talvez a impressão dos momentos seja muito próxima…

Talvez isso tudo…
Mas o que me preocupa é esta palavra devagar…
O que é que tem que ser devagar?
Se calhar é o universo…
A verdade manda Deus que se diga.
Mas ouviu alguém isso a Deus?
Poema de Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa (1883-1935)

Sabia que (2):
"1893 - Em Julho, Joaquim de Seabra Pessoa (pai de Fernando Pessoa) morre tuberculoso em Lisboa. (...)
1894 - Em Janeiro morre o seu irmão Jorge. Neste período Fernando Pessoa cria o seu primeiro heterónimo, o Chevalier de Pas.
1895 - A sua primeira poesia, a quadra À minha querida mamã, tem a data de 26 de Julho.
Em Dezembro a mãe casa por procuração, na Igreja de São Mamede em Lisboa, com o Comandante João Miguel Rosa, Cônsul de Portugal em Durban, na colónia inglesa do Natal.
1896 - Em Janeiro parte com sua mãe e um tio-avô com destino a Durban. (...)
1897 - Faz a instrução primária na escola de freiras irlandesas da West Street (alcança a equivalência de cinco anos lectivos em apenas três). No mesmo Instituto faz a sua primeira comunhão."
("Fernando Pessoa, uma fotobiografia", de Maria José de Lancastre).

Não sabia?  Eu também não!
O que importa é que agora sabemos.
Prometo partilhar mais informações sobre a vida do poeta do desassossego.

(Foto cedida por ANTÓNIO GOMES, do blogue "Existe Sempre um Lugar". Obrigada, amigo!)

19 comentários:

  1. Bom dia, " Devagar… Sim, devagar… Quero pensar no que quer dizer" lindo poema do enorme poeta Fernando Pessoa, devagar causa preocupação mas deve e tem que ser.
    A Partilha é maravilhosa, gostei muito.
    Feliz dia e fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo António, a sua foto é «a cereja em cima do bolo».
      Muito obrigada, por tudo.
      Abraço.

      Eliminar
  2. Estamos sempre a aprender.
    Beijo, bfds

    ResponderEliminar
  3. Até morrer, não é amigo?
    (Se possível de riso, digo eu...)
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Aplausos pela foto do amigo A.Gomes, pra ti que compartilhaste! Tudo lindo! beijos, chica e feliz JUNHO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Rejane.
      Beijo e um feliz Junho também para si.

      Eliminar
  5. A foto é linda sendo azul (céu) sobre ouro (areia)!
    Desconhecia algumas das partilhas!
    Gosto do poema e DEVAGAR SIM para saborearmos o que o TEMPO nos oferece!!!
    bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracinha, não sabias tu nem eu, mas ficámos a saber.
      Oportunamente partilharei outros dados da vida do poeta.
      Beijo e bom fim-de-semana.

      Eliminar
  6. Casamento perfeito do belo poema de Fernando Pessoa (digo Álvaro de Campos) com a foto mansa, tranquila de A.Gomes!
    Beijo, querida amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tais, pouco contribui para este casamento perfeito: o poema copiei e a foto pedinchei.
      De mim, apenas aqui está o gosto pela poesia e pela fotografia e o enorme prazer em partilhar. Ah, e o gosto de gostar de amigos.
      Beijo, querida.

      Eliminar
  7. Bom dia Teresa.
    Essa poesia retrata um pouco do meu modo de viver
    hoje rumo aos 56 anos,; já tive pressa, muita pressa.
    Pressa de realizar coisas, pressa em atender as
    pessoas e muita pressa em não decepciona-las.
    Um dia como no poema, parei de correr assim
    e passei a saborear a vida calmamente...
    Tem dado certo.
    Quanto as informações compartilhadas
    são ricas, por isso sou grata a você.
    Nesse link do Youtube há uma
    canção linda com o tema.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Catiaho!
      Também eu já tive pressa, já corri...
      Agora, não corro mais. Correr para a morte? Nem pensar!
      Agora, a vida é um presente que vou abrindo com calma, muita calma!
      Vou espreitar o link.
      Beijo, amiga.

      Eliminar
  8. Tanto el poema como esa tranquila playa, te invitan a pasear, ahora bien, despacito, como debe de ser.
    Una entrada muy bonita y completa, con esos detalles biográficos.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muchas gracias, Manuel.
      Un abrazo para ti tambien.

      Eliminar
  9. Olá Teresa!
    A poesia de mestre Fernando Pessoa não deixa indiferente a quem gosta de poesia, Os seus poemas dão-nos lições de vida, de amor vivido, de amor perdido, de solidão e inquietação. Fernando Pessoa é um norte para os poetas.
    Ótimo domingo Teresa!
    Bjs.
    Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro!
      Fernando Pessoa, o mestre como lhe chamas, é um norte para quem ama escrever prosa ou poesia, para quem simplesmente ama ler.
      Certo dia, li numa entrevista um escritor estrangeiro dizer que o “Livro do desassossego” de Pessoa, era seu livro de cabeceira. (Não recordo agora o nome do escritor, mas tenho a entrevista guardada …)
      Pois eu, que de escritora ou poeta nada tenho mas adoro ler, não passo um dia sem o abrir para me perder em tamanha beleza. E se acontece ler o que já antes li e sublinhei, encontro novos encantos nas palavras escritas.
      Para o mal e para o bem, confesso-me viciada em Pessoa. Nos seus poemas, no desassossego da sua prosa.
      Nunca, jamais, algo igual me aconteceu.

      Gostei muito deste teu comentário, Pedro. Poeta é assim, fala (escreve) lindo!
      Bom domingo para ti e Tais.
      Beijo para os dois.

      Eliminar
  10. Belo poema e linda foto do amigo A.Gomes.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  11. Álvaro de Campos. Andei a relê-lo há pouco tempo. Encontro sempre várias formas de o abordar… Que bom encontrá-lo aqui, minha Amiga. A fotografia é lindíssima.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  12. Eu até já sabia isso, mas sem as datas precisas. De todo o modo, cá espero o resto na volta do correio :); pode que o não saiba e fique sabendo.

    ResponderEliminar