04 maio, 2018

Viajando e aprendendo: TURQUIA





“Cada vez que viajo, viajo muito.”
Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”.

Em 2009  eu e o Carlos voámos para a Turquia.
A Turquia, cujo nome oficial é República da Turquia (Türkiye Cumhuriyeti), é um país eurasiático constituído por uma pequena parte europeia, a Trácia, e uma grande parte asiática, a Anatólia. Tem fronteira com oito países: a Bulgária a noroeste, a Grécia a oeste, a Geórgia a nordeste, a Arménia, o Irão e o Nakichevan azerbaijano/Azerbaijão a leste, e o Iraque e a Síria a sudeste. É banhada pelo Mar Negro ao norte, pelo Egeu e o Mar de Mármara a oeste e pelo Mediterrâneo ao sul. A capital é Ancara.
Nos termos da constituição turca é uma república democrática, secular e constitucional cujo sistema político foi estabelecido em 1923, após o fim do Império Otomano. 
A Turquia e seus Estados antecessores foram uma ponte entre as culturas ocidental e oriental e o centro de diversas grandes civilizações.
Inicialmente escolhida sem grande convicção, a viagem veio a revelar-se surpreendente e inesquecível. O itinerário, designado “Turquia Espectacular”, incluiu a visita a Istambul, Ankara, Capadócia, Konya, Pamukkale, Éfeso, Izmir, Pérgamo, Tróia e Çanakkale.
As surpresas sucederam-se: o riquíssimo património histórico, a impressionante diversidade geográfica, o admirável contraste entre o antigo e o moderno, o colorido dos tapetes e kilims, o requinte da aromática gastronomia, o povo simpático e hospitaleiro.
Chegámos a Istambul - cidade que liga os continentes asiático e europeu - ao início da noite e logo no trajecto do aeroporto para o hotel constatámos que estávamos numa grande cidade imperial, cosmopolita, que fervilhava de gente e de trânsito, com os monumentos profusamente iluminados e inúmeros barcos a circular no Bósforo. De madrugada fomos acordados por um cântico transmitido por altifalantes colocados no alto dos minaretes e que chama os fiéis para a oração – estávamos num país muçulmano. A descoberta dos principais pontos de interesse histórico da cidade, que foi capital dos impérios Otomano, Bizantino e Romano, iniciar-se-ia no dia seguinte, após um soberbo pequeno-almoço com o famoso iogurte, o pão achatado e uma diversidade, sem igual, de legumes cozinhados, pastelaria, doçaria, frutos frescos e muitos, muitos, frutos secos.
Começámos pelo Palácio de Topkapi, centro de poder do Império Otomano durante cerca de 4 séculos, onde estão expostos diversos tesouros: jóias com milhares de brilhantes, pedras preciosas e semi-preciosas; porcelanas; trajes imperiais; armas e armaduras; relógios; miniaturas e manuscritos.
No bairro de Sultanahmet ficam, frente a frente, dois dos mais importantes monumentos da cidade: A Mesquita Azul - lindíssima com os seus azulejos azuis de Iznik, os seis minaretes, as cúpulas pintadas com padrões de arabescos mesméricos, e a Igreja de Santa Sofia (Igreja da Sagrada Sabedoria) – projectada como “um espelho do céu na Terra” que abriga nas paredes e cúpulas esplêndidos mosaicos bizantinos com mais de 1400 anos, com  a figura de Cristo, a Virgem com o menino Jesus ao colo, o arcanjo Gabriel.
No Bairro do Bazar, bairro de lojas e mercados, fica o impressionante Mercado das Especiarias, onde se encontram TODAS as especiarias orientais, ervas aromáticas, mel e frutos secos, e o Grande Bazar, um labirinto de corredores com mil e uma lojas repletas de produtos tentadores e lojistas alvoraçados, onde apetece voltar sempre, sempre, e comprar tudo, tudo. Mulheres, o Grande Bazar é, acreditem, uma tentação demoníaca!
Terminámos a visita à cidade com um relaxante cruzeiro pelo Bósforo e seguimos depois (de autocarro) para Ankara, a moderna capital da Turquia, com 5,4 milhões de habitantes.
 
A visita a Ancara foi demasiado rápida, nem sequer fomos ao centro da cidade. Foi chegar ao hotel (nos arredores da cidade) ao fim do dia, dormir, sair de manhã já com as malas, fazer duas visitas e arrancar... Fiquei sem saber o porquê de tanta pressa.
Valeu pela visita ao magnífico Museu das Civilizações, que alberga a maior colecção de antiguidades hititas do mundo, e ao Mausoléu de Atatürk onde está depositada a urna com as cinzas de Mustafa Kemal Atatürk (1881-1938), fundador e primeiro Presidente da República da Turquia, em 1923.
Sempre de autocarro chegámos à Anatólia Central e logo nos deslumbrámos com a região da Capadócia – paisagem única esculpida pela natureza. Na sua origem estiveram dois vulcões, já extintos, que expeliram a lava e cinzas que formou uma paisagem encantada de tufo vulcânico. Depois, ao longo de milhares de anos, a erosão pela água e vento esculpiu as extraordinárias formações rochosas. A macieza do tufo permitiu aos antigos habitantes da região escavar cavernas subterrâneas interligadas e ali viverem em comunidade, sem uma fresta de luz mas com um eficiente sistema de ventilação.
Partimos depois para a região do Egeu, habitada por 1/3 dos cerca de 71 milhões de habitantes da Turquia. Nesta região deslumbrámo-nos com os vestígios de cerca de 5000 anos de história grega e romana.
É o caso das ruínas de Éfeso - Biblioteca de Celso, o Teatro escavado na vertente do monte Pion, o Templo de Adriano, a Rua Colunada alinhada por colunas jónicas e dóricas, o Templo de Domiciano, a Porta de Hércules e muitos outros, de Izmir, de Pérgamo - o Altar de Zeus, o Templo de Trajano e o Teatro com capacidade para 10.000 lugares, de Tróia - com o imponente Cavalo de Tróia.
A cerca de 8 km do centro de Éfeso, no alto do monte Coresus, visitámos a Casa da Virgem Maria, local de peregrinação de cristãos e muçulmanos, onde a mãe de Jesus terá vivido os últimos anos da sua vida.
Visitámos, ainda, os terraços e as nascentes de Pamukkale (Palácio de Algodão), formações calcárias, numa extensão de 3000m de largura por 100m de altura, de um branco cintilante que lembra uma paisagem lunar. Espectacular!
E seguimos... e vimos... e seguimos...
A viagem terminou com a travessia do Mar da Mármara em ferryboat e o regresso a Istambul.
A Turquia, com um riquíssimo património histórico, uma diversidade geográfica impressionante, um contraste entre o antigo e o moderno admirável, um povo simpático e hospitaleiro, foi um destino de férias espectacular.
Recomendo, VIVAMENTE!
Se não puderem fazer todo o itinerário visitem pelo menos Istambul, uma cidade arrebatadora!
Deixo-vos muitos "olhos turcos", o amuleto turco que, dizem eles, protege contra o mau-olhado.
Comprei vários, claro! Pela beleza das pequenas pedras azuis e para afastar olhares invejosos...
(Mais fotos aqui.)

19 comentários:

  1. Quanto a ver, clicar, viver por lá para depois relembrar, nos mostrar e encantar. Vale sempre viajar! Essa árvore com olhos turcos é linda! Adorei ler e ver! beijos, chica

    ResponderEliminar
  2. Uma bela viajem minha amiga a um país que ainda quero visitar.
    Gostei de ver esta árvore decorada com os olhos turcos.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  3. A Turquia é uma surpresa agradável (foi o que me aconteceu quando lá fui), já que tem inúmeros pontos de interesse para os turistas.
    Bom fim de semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jaime foi isso mesmo que senti ao pisar solo turco: SURPRESA!
      É um encanto de país.
      Boa semana, amigo.

      Eliminar
  4. Querida Teresa, obrigada por me teres permitido voltar à Turquia contigo. Fiz esta mesma viagem há muitos anos ( sabes que já não me lembro há quantos ?) e adorei. Visitei muitos dosligares que aqui indicas e fiquei encantada também com o povo turco; gostei muito da Capadócia e, apesar de algum receio no inicio, fiz a viagem de balão que foi fantástica. Ainda bem que fiz essa viagem há anos, pois agora, dada a situação mundial, não sei se teria coragem . Fui com um grupo de amigos, mas, na camionete onde viajamos ppr lã andavam outras pessoas que não tinham ido connosco; conheci uma senhora que depois vim a saber que era a Elisa do blog Fardilhas; comentei que tinha um blog, ela também e a partir daí
    começámos a nossa amizade. Interessantes estas coisas. Espero que estejas bem, amiga e desejo-te um bom fim de semana. Deixo-te aquele abraço apertadinho, apertadinho.
    Emilia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Emília, eu não fiz a viagem de balão, não! Nem sequer me aproximei de um dito cujo, mas algumas pessoas do grupo fizeram e amaram. Eu sou medrosa mesmo!!!!!
      Estou bem mas um tudo nada partidita. Sábado dancei que me fartei no casamento de uma sobrinha e agora arrasto-me...
      Abraço apertadinho e boa semana.

      Eliminar
  5. Obrigada pela partilha!
    Ainda não conheço a Turquia e gostava!!!
    bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bora lá, Gracinha!!!!
      Bora lá às compras a Istambul...
      Beijo.

      Eliminar
  6. Querida Teresa

    Que post revelador e fantástico! Tal como essa Turquia, considerada, não sei se ainda, o tampão da Europa. As suas fronteiras constituídas por oito países é qualquer coisa de fenomenal. O trabalho que não deve dar a guarda dessas entradas.
    As fotos e o teu lindo texto ilustram muito bem essa viagem. Dei um salto ao "Fugas reveladas" que complementa muito bem a tua descrição. Adorei ver esses "olhos turcos" e o Cavalo de Tróia, para além de todo o resto que é muitíssimo.
    Vou seguir o teu exemplo e falar de algumas saídas minhas nos últimos tempos. A Cabo Verde, por exemplo. Comecei a falar disso e depois parei. E também Paris.

    Gostei muito da citação de Fernando Pessoa. E, se não estou em erro, ele nunca saiu de cá. Mas o espírito também viaja.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Tirando África do Sul onde viveu...

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amiga Olinda!
      Pelo que já conheço de ti... irias gostar de visitar a Turquia.
      Espero para ver no teu xaile por onde já andaste.
      Beijo e boa semana.

      Eliminar
  8. Da Turquia conheço Istambul.
    Gosto da cidade, dos monumentos, senti-me pouco à vontade com as pessoas.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estranho! Quando foi essa viagem?
      Eu achei as pessoas encantadoras.
      Beijo e boa semana.

      Eliminar
  9. Obrigada pelas imagens e pelas palavras. Assim viajei consigo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Consigo eu viajo para o "país da poesia, das emoções e sentimentos".
      E gosto. Muito!
      Beijo, Graça, e boa semana.

      Eliminar
  10. Nossa, Teresa!!! Que viagem, quero viajar muito contigo aqui no Rol, não tinha muita noção da Turquia, que belo país, mas o que vejo tem a tua explicação que é uma aula de História! Foram em excursão? São muito rápidos os passeios ou dá para curtir mais devagar as coisas?
    A casa de Maria, muito interessante, o cavalo de Tróia que tanto estudamos sobre ele. Achei um país lindo, moderno cruzando com o antigo, e esse contraste deve ser lindo visto pessoalmente. Que bela arquitetura, adorei, fui lá no Fugas e vi mais. Amiga, essa postagem vale ouro, gostei muito da tua aula, quero mais!!! Que experiência fantástica! Obrigada pelas partilhas que virão!! rsss Percebeu?
    Beijo, querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Tais!
      Sim, fomos em excursão. Quarenta e tal pessoas, na maioria brasileiras, sim brasileiras, da nossa idade... Fomos acompanhados por um guia português durante toda a viagem e uma guia local, em Istambul.
      Neste tipo de viagem, diz-me a experiência, que o melhor mesmo é ir em excursão. Vês e aprendes MUITO mais. E quando o grupo é bom, menina, é uma alegria.
      Se a viagem é apenas para visitar uma cidade, aí sim pode ser feita a dois e de mapa na mão calcorrear ruas e entrar aqui e ali e ficar a apreciar horas a fio.
      Eu gosto de ouvir os guias locais, dentro e fora dos museus, catedrais e outros que tais. Gosto de colocar questões que não estão no roteiro... e eles respondem e nós aprendemos!
      Fiz uma viagem à Índia - um dia colocarei aqui - convencida de que seria em grupo e quando lá cheguei constatei que éramos apenas os dois e um motorista. Nas várias cidades que visitámos esperava-nos sempre um guia local. Nos primeiros dos muitos quilómetros que fizemos, no banco de trás do carro quase morri de medo. Até uma viagem de comboio fizemos sózinhos e não imaginas o que é andar de comboio na Índia... No destino esperava-nos o mesmo carro e motorista. O porquê do comboio eu não entendi mas ainda hoje sinto o amargo da bizarra experiência.
      Correu tudo lindamente, haja Deus. Aprendi! Não saio mais de Lisboa sem saber para o que vou. Então eu, que tenho medo até de barata...
      Esta viagem à Turquia foi fabulosa! Recordo tantas, mas tantas peripécias engraçadas que dariam para um blogue só. Numa das paragens visitámos uma fábrica de artigos de cabedal. Se não foram todas as mulheres que comprar um casaco, foram quase todas. Depois, no autocarros houve desfile... Foi o máximo!
      Eu fiz grande parte da viagem com turbantes feitos de lenços (giríssimos) que ia comprando. Turbantes feitos na minha cabeça por uma das senhoras brasileiras, uma lindona de mais de oitenta anos, um doce de pessoa. Se voltares às fotos da viagem, bem no fim, verás que estou com um.
      Viajar em grupo tem destas pequenas coisas que nos fazem gostar ainda mais de viajar, conviver e partilhar experiências.
      Em Istambul andámos uma tarde sózinhos, eu e o Carlos. Claro que o "obriguei" a ir a Bazar... menina, tudo ali é uma perdição...
      Ponto final, Teresinha...
      Beijo, querida.

      Eliminar
    2. Só agora me apercebi do tamanhão do comentário... dava uma nova postagem. Desculpa, amiga!

      Eliminar
  11. Está ótimo o tamanho da resposta, rsr! Não tinha visto as fotos com o turbante, elas estão na segunda página, só aparecem clicando. Gostei muito, poderias passar pra cá, uma delas... Todas as fotos deveriam levar uma etiqueta de 5 estrelas, de tão bem tiradas. Repito, postagem linda!
    Beijo!

    ResponderEliminar