28 novembro, 2017

Estou de volta!


Hora a hora,
Nasce outra vez em mim a vida.
Devagar,
Como um gomo de vide a rebentar,
Cobre de verde a cepa ressequida.

É um fruto que acena?
É uma flor que há-de-ser?
- Fui eu que disse que valia a pena
Viver!

"Convalescença", poema de Miguel Torga, Portugal (1907-95)
The Murmur of the sea”, de Delphin Enjolras, pintor francês (1857-1945)


Estou de volta!!
Já sem a vesícula biliar (órgão responsável pelo armazenamento da bílis produzida pelo fígado) onde se "alojavam" várias pedrinhas (cálculos biliares) e um pedregulho de 3 cm, verdade, 3 cm, que há semanas atrás me provocaram dores terríveis na zona abdominal e costas, que me levaram ao hospital.
Exames para cá, exames para lá, o diagnóstico chegou: dores provocadas pela expulsão de pedras pequeninas; inflamação provocada pelo pedregulho.
Tratada a inflamação, avançámos para a colecistectomia (excisão cirúrgica da vesícula) por via laparoscópica. Tudo correu bem!

Sou grata por tudo. Grata pela preocupação e carinho de todos: família; amigos reais; amigos da blogosfera; conhecidos de bata branca, verde, azul.
Um beijo no coração de TODOS!

6 comentários:

  1. Bom regresso
    sem vesícula mas inteira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inteira e um nadinha mais leve...
      Abraço!

      Eliminar
  2. Olá Teresa, ainda bem que correu tudo bem e que está a recuperar rapidamente.

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Landa, obrigada pelo carinho.
      Beijo.

      Eliminar
  3. Por menor que seja uma cirurgia, de fato, o que sentimos é um renascer, pois nascemos da dor, da expectativa, da dúvida. E voltaste inteira!! Maravilha, amiga!!! Esse belo poema encaixa tão bem...
    Convalescença... será que não foi feito para ti? Mesmo naquela época o poeta podia ser um visionário, não? rss

    Beijo grande, querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só tu, amiga!
      Só tu para me fazeres rir...
      Beijo, querida!

      Eliminar