02 julho, 2013

Desafio nº 19 - Não é fácil ler e entender este romance. Pela escrita densa (na nossa língua) e pelo tema angustiante. Este excerto, da pág. 46, disso dá conta. Qual é e quem o escreveu?

Aqui, pensou o médico, desagua a última miséria, a solidão absoluta, o que em nós próprios não aguentamos suportar, os mais escondidos e vergonhosos dos nossos sentimentos, o que nos outros chamamos loucura que é afinal a nossa e da qual nos protegemos a etiqueta-la, a comprimi-la de grades, a alimentá-la de pastilhas e de gotas para que continue existindo, a conceder-lhe licença de saída ao fim de semana e a encaminhá-la na direcção de uma “normalidade” que provavelmente consiste apenas no empalhar em vida. Quando se diz, considerou ele de mãos nos bolsos a observar os serafins do bagaço, que os psiquiatras são malucos, está-se tocando sem saber o centro da verdade: em nenhuma especialidade como nesta se topam seres de crânio tão em saca-rolhas, tratando-se a si mesmos através das curas de sono impingidas por persuasão ou à força aos que os procuram para se procurarem e arrastam de consultório em consultório a ansiedade da sua tristeza, como um coxo transporta a perna manca de endireita em endireita, em busca de um milagre impossível.
 
Ajuda se eu disser que é o primeiro romance do autor da bata branca?
Ajuda se eu disser que a sua vasta obra é um sucesso internacional?
====////====////====
Resposta do desafio nº 18:
Claro que é “A mãe”, de Máximo Gorki, um clássico da literatura russa.
Parabéns para quem acertou.

Sem comentários:

Publicar um comentário