01 agosto, 2012

Querido Agosto...


Vou de férias!
Sim, mas apenas das "lides bloguistas", durante todo o mês de Agosto.
Férias, férias só em Setembro, mês em que festejarei um aniversário redondinho e gordinho e então sim, vou de férias. Para muito longe!

Entretanto, em Agosto pretendo ler Os detectives selvagens, de Roberto Bolaño e reler Doze contos peregrinos, de Gabriel García Marquez e A vida nova,  de Orhan  Pamuk.

Já abandonei a leitura das 512 páginas de texto compacto de Bolaño uma vez. Veremos o que acontece agora.
O romance  de Pamuk tem, para mim, um dos mais belos inícios que já li: Um dia li um livro e toda a minha vida mudou. Lindo, não? Veremos o que mudará na minha vida...
Os contos de García Márquez vão trazer magia aos meus dias, mesmo sabendo que o fio condutor das doze histórias é a solidão.
Vou, então, perder-me num mês de encantos (e desencantos, claro!), com o regresso às origens, encontros familiares, muita comilice, diversão, muita praia e algumas leituras. Sim, porque sem livros - não dá!
Como diz Gabriel García Márquez: A literatura é um brinquedo maravilhoso!

Mas antes de me ir... deixo algumas "conchas" que apanhei, hoje, à beira mar.
Interpretem como quiserem. Eu fiquei pasmada!
O que se passa com a nossa gente?

1.
- Tens um chapéu muito grande.
- É da minha neta. Esqueceu-se do boné em casa e anda como o meu chapéu.
- Dá para desenrascar. Não lhe fica mal.
- Bem também não lhe fica. Os meus cornos são maiores que os dela, ah! ah! ah!
2.
- Vem para trás, Ricardo.
- Mas, mãe, a água está ali à frente.
- Porra pá! Já disse para vires para trás.
3.
- A água está porreira, mãe.
- Não se diz porreira.
- Então, como é que se diz?
....
- Como é que se diz?
- Merda, vai para a água.
4.
- Não me molhes.
- Vem para a água mãe. Está fria mas boa.
- Quando eu quiser, eu vou.
- Porquê mãe?
- Carago do miúdo. Não me chateis.
5.
- Pai, gostas do meu castelo?
- Hum!
- Pai, achas que está bem feito?
- Hum!
- Não queres fazer um castelo comigo?
- Hum!
......
- Então, João, desmanchaste essa merda?!
6.
- Tiago, não pises as toalhas.
...
- Tiago, já te avisei duas vezes, não pises as toalhas.
....
- Tiago, porra! Se voltas a pisar a merda das toalhas vamos embora.
7.
- Gostas do meu fato de banho?
- Gosto! Tem muitas florinhas.
- Foi a minha mãe que o comprou.
- A tua mãe deve gostar de jardins.
- Vai à merda.
8.
- Estás a encher-me cheia de areia.
- Não é assim que se diz, mãe.
- Que merda é essa. Agora já queres ensinar-me a falar?
9.
- Aquelas meninas, mais pequeninas do que tu, não têm medo da água. Tu és um maricas.
- E tu és o quê? Também não vais à agua.
- Merda de garoto.
10.
- Amo-te muito.
- Sim.
- E tu, amas-me muito ou pouco?
- Sim.
- Sim,é muito ou pouco?
- Vamos à água c..... Estás a precisar de um banho gelado.

Até Setembro.
Boas leituras para todos.