10 março, 2017

É de pequenino...

Quem é esta criancinha seriamente empenhada em aprender os números e as letras?
Chama-se Madalena, tem seis meses (feitos no passado dia 25), e é minha neta .
A mana Carolina (prestes a fazer 6 anos), está decidida a ensinar-lhe os números e as letras e ela, divertida, “alinha” na brincadeira.

A avó, convicta de que desde cedo se deve incutir nas crianças hábitos de leitura, sorri enternecida e deixa um conselho à mana mais velha:
“Carolina,vai com calma. A Madalena é muito pequenina. Brinca com ela, mostra-lhe os números e as letras e lê-lhe historinhas. Assim. aprendem as duas: ela a gostar ainda mais de ti e tu a leres cada vez melhor. Concordas?"
Amo, de paixão, as minhas pequeninas.


“E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos?
Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar.”
José Saramago, escritor português (1922-2010)
Prémio Nobel de Literatura, 1998

“É preciso fazer compreender à criança que a leitura é o mais movimentado, o mais variado, o mais engraçado dos mundos.”
Alceu Amoroso Lima, crítico literário, professor, pensador, escritor e líder católico brasileiro (1893- 1983)

“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.”
Bill Gates, magnata, filantropo e autor norte-americano (1955-)

10 comentários:

  1. Os adultos tornam-se um pouco crianças quando contam ou lêem histórias infantis.
    Em todas as idades os garotos se deixam conquistar pelos livros. Ainda que não saibam ler, os grafismos as cores, os desenhos, são atractivos.

    ResponderEliminar
  2. Verdade. Nós adultos deveríamos ler mais histórias infantis. :)

    ResponderEliminar
  3. Que fofinha. Decerto que as duas hão-de gostar de ler com tantos estímulos.
    A mais velha está agora numa fase deliciosa, a de aprender a ler e de descobrir as histórias por eles mesmos.
    A minha pequenina sempre teve livros, não fosse a mãe e o avô apaixonados pela leitura. Agora com quase 4 anos adora contar e ouvir histórias.

    ResponderEliminar
  4. O que mais impressiona é o que vem de Bill Gates! Olha só... É rico mas não é burro, rsr.
    Tuas netinhas vão crescer e gostar muito de livros, é nessa idade que gravamos muitas coisas. Leitura é hábito, é incentivo. Tenho visto é criança com 1 ano com Tablet e celular na mão. Que horror. E os pais achando a coisa mais mimosa... Estão preparando seus filhos para serem 'Nada!'
    Beijo, Teresa!

    ResponderEliminar
  5. Letras?!
    É demasiado para essa idade!!
    Já não se ensinam nem aos seis anos... é uma abstração que se infere a partir dos sete anos...
    Tudo o que são construções Legos, em tamanho grande, ajuda a desenvolver o raciocínio básico...
    Beijinhos.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  6. O mundo das crianças é maravilhoso.
    E poder observar a sua evolução e aprendizagem é também aprender algumas coisas importantes.
    Magnífico post, querida avó babada... parabéns pelas netas aprendizas...
    Boa semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. Quanta ternura pelas suas meninas... a netinha é deveras amorosa.
    Gostei das citações que selecionou.
    Dias venturosos.
    Abraço
    ~~~

    ResponderEliminar
  8. Assistir ao crescimento dos netos é uma bênção...
    E os livros, lidos ou apenas olhados e ouvidos através de um adulto, são um bom instrumento para a sua aprendizagem.
    Amiga Teresa, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Bea, Luisa, Diana, Landa, Tais, Majo, Jaime.
      Durante uns dias “desliguei” de tudo para estar de corpo inteiro com as minhas duas netas, que já não abraçava desde a passagem de ano de 2016.
      A Madalena está linda e risonha. A Carolina, com seis anos feitos no dia 14, está uma princesinha simpática, interessada, bem-disposta, encantadora. A alegria delas é contagiante, os beijos carinhosos e abraços apertados, o melhor do mundo.
      Voltei para casa com um nó no coração e uma lágrima ao canto do olho. Separar-me delas, dói.
      É a vida!

      Eliminar