27 junho, 2013

"Nelson Mandela: Uma lição de vida" - Jack Lang


"Ser pela liberdade não é apenas tirar as correntes de alguém, mas viver de forma que respeite e melhore a liberdade dos outros."- Nelson Mandela
 
É interessante a forma encontrada por Jack Lang (ex-ministro da cultura de França), para escrever sobre Nelson Mandela.
Misturou factos reais da vida e da época do estadista com heróis da mitologia, colocou-o no grande palco do mundo e deu-lhe o papel principal de um drama em cinco actos: Antígona; Espártaco; Prometeu, Próspero, O rei Nelson.
Cinco actos (capítulos) que revelam a vida de um homem simples, nascido em 1918, advogado de formação, preso político durante vinte e sete anos, libertado em 1990, primeiro presidente negro da África do Sul, Prémio Nobel da Paz em 1993.
Nelson Mandela, o grande activista pelos direitos humanos, o guerreiro humilde que reconciliou negros e brancos, o estadista com um extraordinário dom da palavra, o homem que amava o teatro.
Na prisão de Robben Island, quando as condições de detenção se tornam menos desumanas, inicia os companheiros nas obras-primas do repertório universal: “as nossas produções eram o que se poderia classificar agora como minimalistas: não havia palco, nem cenário, nem guarda-roupa. Tudo o que tínhamos era o texto da peça. Só actuei em algumas das peças, mas tive um papel memorável: o de Creonte, o rei de Tebas, na Antígona de Sófocles.”
 
Diz no prefácio a sul-africana Nadine Gordimer, escritora e activista pelos direitos humanos, galardoada com o Prémio Nobel de Literatura, 1991.
“Se há uma forma de génio específico da qualidade humana, Mandela é possuidor desse génio.”
Concordo!
 
Nelson Mandela – Uma lição de Vida, de Jack Lang
Ed. Bizâncio, 2005
Tradução de Francisco Agarez
230 págs.

2 comentários:

  1. Também concordo! Foi sem dúvida um dos grandes homems do século XX. Engraçado que não sabia desse seu gosto pelo teatro... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu não, mas gostei de saber.
      Bjs.

      Eliminar