29 fevereiro, 2012

Vale a pena ler... Natacha Atlas



"Há duas maneiras de escravizar uma nação: uma é pela espada e outra pela dívida. A da espada é atribuida à realigião; o resto à dívida. Mas tudo começa na escassez. Se não temos o suficiente, tornamo-nos mais intolerantes."

"Reparemos no que se está a passar na Grécia, um país que parece ser propriedade de outros países. É como se tivessemos recuado ao colonialismo do passado, com os Estados incapazes de pagar as suas dívidas. Não podemos aceitar que nos reduzam a um monopólio do FMI ou seremos todos escravos."

Natacha Atlas, compositora, cantora e belly dancer, nascida na Bélgica, com raízes judias e muçulmanas, árabes e europeias, apresentou no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian o álbum Mounqaliba - In a State of Reversal (considerado um dos dez melhores álbuns de world music de 2010), que ela quis que fosse uma declaração política.

Excerto da entrevista publicada no P2 do jornal Público de 28 Fevereiro 2012

1 comentário:

  1. É impossível não concordar com a Natacha... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar