10 janeiro, 2011

"Homem invisível" - Ralph Ellison

Sinopse: “Invisível para os brancos racistas, para os brancos emancipados, e para os próprios negros radicais, o protagonista desta obra deseja apenas ser como é. E não como realmente acontece, ou seja, um “homem invisível”, já que realmente todos vêem o que o rodeia e não a ele próprio.
Homem Invisível revela a dor da existência do homem negro num mundo branco. É a história da viagem de um jovem negro pelos estados sulistas da América nos primeiros anos do século XX. Com o passar do tempo, entre experiências frequentemente contraditórias, o protagonista fica a conhecer o mundo dos negros, o mundo dos brancos e o seu próprio mundo. Trata-se de uma peregrinação excepcionalmente esclarecedora sobre questões fundamentais como a raça, a existência humana ou os ideais democráticos.”

Num texto muito bem organizado, muito bem escrito, o narrador, sempre incógnito, transporta-nos ao passado e, a partir daí, tece o enredo: excelente aluno, frequenta uma universidade para negros, que para ele era o melhor dos mundos possíveis, e pretende ficar na universidade como professor ou como membro do conselho administrativo. Devido a uma falta considerada muito grave, cometida no âmbito das severas regras de comportamento, foi expulso. O reitor entrega-lhe várias cartas de recomendação para administradores que o poderão ajudar na procura de emprego. Mas a mensagem nelas contida….

Primeiro romance de um autor desconhecido, provocou intensa polémica aquando da sua publicação, em 1952. Posteriormente foi considerado pela crítica uma obra-prima e reconhecido por muitos como a melhor obra afro-americana de sempre.

Frases que escolho: “Demorei muito tempo e muitas reviravoltas dolorosas das minhas expectativas até atingir um resultado que a todos parecia evidente: que não sou ninguém a não ser eu próprio. Mas primeiro tive de descobrir que sou um homem invisível!!. E, contudo, não sou nenhuma aberração da natureza nem da história. Não me envergonho de os meus avós terem sido escravos. Só me envergonho de mim próprio por em certa altura me ter envergonhado.” (pág. 19)

Homem invisível, de Ralph Ellison
Casa das Letras, 2006
Tradução de Salvato Telles de Menezes e Rui Andrade
470 págs.

8 comentários:

  1. Já comprei este livro há uns quatro ou cinco anos e quase todos os dias ele olha para mim e chama-me, mas até agora tenho resistido...

    Vale a pena, Teresa?Tenho tanta coisa para ler...

    ResponderEliminar
  2. Oh, se vale!
    É um romance ENORME (no número de páginas e no conteúdo), que recomendo vivamente. Eu, adorei!

    ResponderEliminar
  3. Quero muito esse livro, mas não o encontro em lugar algum. Por favor me mandem o link de alguma loja q o tenha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maurício de Oliveira17 outubro, 2013

      www.fnac.com.br. Maurício de Oliveira

      Eliminar
    2. Este livro tem na Livraria Saraiva da Rua Barão de Itapetininga, Centro de São Paulo.

      Eliminar
  4. Maurício de Oliveira17 outubro, 2013

    Esse é um livro recomendado de geração para geração. Uma leitura obrigatória que todo negro deve ler.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Maurício.
      Obrigada pela dica.

      Eliminar