06 janeiro, 2011

"Comer, orar, amar" -Elizabeth Gilbert

Sinopse: “Aos trinta anos, Elizabeth Gilbert tinha um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso – tudo aquilo que uma mulher pode desejar. Ou talvez não…
Decide deixar tudo para trás e, depois de uma arrasadora crise existencial e de um divórcio difícil, parte à aventura.”

Li, com bastante agrado este divertido e inteligente relato de uma viagem libertadora de doze meses, que serviu à autora para se reencontrar.
A viagem começou em Itália (onde experimentou os prazeres mundanos) “descobri que tudo o que realmente queria era comer boa comida e falar italiano o mais possível… portanto declarei como principais prazeres estas dois coisas – falar e comer… será assim tão horrível viajar por alguns meses da nossa vida sem outra ambição a não ser descobrir a próxima refeição deliciosa?”, continuou pela Índia (onde procurou o equilíbrio espiritual “passo quatro a cinco horas por dia nas cavernas da meditação… consigo fazer companhia a mim mesma durante horas seguidas, sem me deixar perturbar pela minha existência no planeta… às vezes, as minhas meditações são experiências surrealistas… tento entregar-me a elas com a menor resistência possível… outras vezes, sinto um contentamento calmo e doce, e também é bom… as frases continuam a formar-se na minha mente e os pensamentos continuam a fazer a sua dança, mas agora conheço tão bem os padrões do meu pensamento que já não me incomodam” e finalizou na Indonésia (onde encontrou o amor) “estou feliz, saudável e equilibrada….não fui salva por um príncipe, fui eu a administradora do meu próprio salvamento”.

Não gostei da adaptação cinematográfica, protagonizada por Julia Roberts e Javier Bardem.

Mas gostava, ou se gostava, de fazer uma viagem idêntica...

Comer, Orar, Amar, de Elizabeth Gilbert
Bertrand, 2008
Tradução de Fernanda Oliveira
372 págs.

2 comentários:

  1. Cara Teresa,

    Julgo que fez bem em dividir o blog, assim quem gosta de ler e procura informação na Net vê a sua vida facilitada. Como não há bela sem senão, ao dividir a informação que tem nos vários blogs, está acaba por ser menos visto, por exemplo, eu ainda só entrei neste. Aproveito a oportunidade para agradecer os seus comentários no meu blog.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Tiago,
    Tentei dar a volta ao problema indicando os meus outros blogs logo no princípio da página.
    Resultará?...

    ResponderEliminar